Fotografia #2 – Roger Fenton

Sangue, morte, terror, destruição… Normalmente é essa imagem que nos vem em mente quando ouvimos a palavra guerra, certo? E a uns, digamos, 200 anos atrás, o que imaginavam sobre guerra? Não havia fotógrafos, nem aventureiros que pudessem retratar uma guerra fielmente. Bem, não havia até um cara se apaixonar por foto. Esse cara se chamava Roger Fenton (abaixo).

Mas as fotos de guerra dele, curiosamente, não tinham aparência de guerra. E este post explicará o real motivo.

Leia mais deste post

Anúncios

Fotografia #1 – Evgen Bavcar

Bom dia/tarde/noite a todos. Como vocês devem saber, eu (nickr4mos) sou fotógrafo amador, e utilizarei o blog também para expor algumas ideias sobre essa arte que eu aprecio tanto. Arte que eu gosto de ver, já que a fotografia é para ser vista, e sem os olhos não há fotografia, certo? Errado. Preste atenção na imagem abaixo:

Mas o que esta imagem tem em comum com a minha afirmação? Esse post explica exatamente isso.

Leia mais deste post

Diário não-diário #1

Oi internautas.

Bem, essa área não será exatamente palco de poemas, contos, etc… Mas talvez seja bem interessante… Ou não.

A princípio, vou expor minhas ideias, algumas novidades, coisas que gosto, entre outros, então acaba sendo pessoal… Mas vocês podem aproveitar alguns conteúdos que transmitirei por aqui.

Leia mais deste post

A sabedoria de um cachorro velho (by Recebi por e-mail)

Uma velha senhora foi para um safari na África e levou seu velho vira-lata com ela.

Um dia, caçando borboletas, o velho cão, de repente, deu-se conta de que estava perdido.

Vagando a esmo, procurando o caminho de volta, o velho cão percebe que um jovem leopardo o viu e caminha em sua direção, com intenção de conseguir um bom almoço ..

O cachorro velho pensa:

‘-Oh, oh! Estou mesmo enrascado ! Olhou à volta e viu ossos espalhados no chão por perto. Em vez de apavorar-se mais ainda, o velho cão ajeita-se junto ao osso mais próximo, e começa a roê-lo, dando as costas ao predador…’

Quando o leopardo estava a ponto de dar o bote, o velho cachorro exclama bem alto: -Cara, este leopardo estava delicioso ! Será que há outros por aí ?

Ouvindo isso, o jovem leopardo, com um arrepio de terror, suspende seu ataque, já quase começado, e se esgueira na direção das árvores.

-Caramba! pensa o leopardo, essa foi por pouco ! O velho vira-lata quase me pega!

Um macaco, numa árvore ali perto, viu toda a cena e logo imaginou como fazer bom uso do que vira: em troca de proteção para si, informaria ao predador que o vira-lata não havia comido leopardo algum.. .

E assim foi, rápido, em direção ao leopardo. Mas o velho cachorro o vê correndo na direção do predador em grande velocidade, e pensa :

-Aí tem coisa!

O macaco logo alcança o felino, cochicha-lhe o que interessa e faz um acordo com o leopardo.O jovem leopardo fica furioso por ter sido feito de bobo, e diz: -’Aí, macaco! Suba nas minhas costas para você ver o que acontece com aquele cachorro abusado!’

Agora, o velho cachorro vê um leopardo furioso, vindo em sua direção, com um macaco nas costas, e pensa:

-E agora, o que é que eu posso fazer ?

Mas, em vez de correr (sabe que suas pernas doloridas não o levariam longe…) o cachorro senta, mais uma vez dando costas aos agressores, e fazendo de conta que ainda não os viu, e quando estavam perto o bastante para ouvi-lo, o velho cão diz :

‘-Cadê o filha da puta daquele macaco? Tô morrendo de fome! Ele disse que ia trazer outro leopardo para mim e  não chega nunca!’

Moral da história: não mexa com cachorro velho… idade e habilidade se sobrepõem à juventude e intriga.
Sabedoria só vem com idade e experiência.

——————

Vi essa lá no Recebi por Email, vale a pena conferir!!!

Decrescendo…

Agora meus demônios atacam-me na alegria…
Ferem me rosto quando estou feliz
Mudam minha aparência
E revelam meu lado obscuro…

O que eu sempre fui e nunca quis revelar…
O que estava abaixo de minha máscara
O que eu tive medo de revelar…

E eu, decrescendo, transformo-me em nada
Perdendo a chance de mudar minha essência…

Até que não tenha o que mudar por não ter o que ser…

Trilha sonora do dia #5

 

Hoje, segunda-feira, é um dia comum, com eventos normais, pessoas normais, as 24 horas normais de sempre… Mas sempre tem aquele clima chato, cansativo… A semana não passa, trabalhamos, estudamos, mas não vivemos…

Como se a própria segunda nos ferisse, tão somente em existir… Por esse sentimento de ferida, tristeza, que eu trouxe esta música como a trilha sonora do dia: Hurt, originalmente do Nine Inch Nails, mas que se imortalizou na voz suave de Johnny Cash.

Uma música que reflete o fim, mas emite uma característica das manhãs de segunda: a tristeza. Ouça, compreenda, sinta as nuances dessa canção, e perceba que a tristeza não está nos dias, mas sim em nós mesmos.